Arquivo para entrevistas

pensando bem…

Posted in entrevistas, no zoom, pra ver e rever with tags , , on 06/04/2009 by Flávia Scherner

Já que essa semana o blog estará meio parado, que tal rever as matérias e entrevistas que passaram pelo zoom? Ou ver alguma que você perdeu? Vocês sabiam que no youtube temos algumas versões diferentes ou “bônus” do que foi ao ar no programa?? Pois é!! Então divirtam-se clicando aqui.

E pra facilitar o trabalho, vou deixar aqui a parte da entrevista com o Meirelles que foi só pro youtube, onde ele fala sobre como começou no cinema, seu processo de trabalho… uma das minhas entrevistas preferidas e que sempre gosto de rever:

“moscou”

Posted in entrevistas, festivais with tags , , , , on 02/04/2009 by Flávia Scherner

Oi oi!

Sexta fui assistir o novo filme do Eduardo Coutinho, “Moscou”,  que está no “É tudo verdade”. O filme “Jogo de Cena”, tb do Coutinho, é uma aula de interpretação, saí da sessão maravilhada com Marília Pêra e Andrea Beltrão enfrentando seus dramas e conflitos enquanto realizam uma cena… que lindo!!! Fui assistir “Moscou” com a mesma expectativa e saí do cinema meio decepcionada pq queria conhecer o processo de criação do Enrique Diaz que é um super diretor de teatro e  do grupo Galpão que tb é referência teatral e não é bem isso que o filme mostra…

Primeiro fiquei pensando que criar expectativa é péssimo, pq a chance de se frustrar é grande… Fiquei presa na idéia de ver o processo de criação, os atores e o diretor descobrindo os personagens, o tom das cenas, os tempos, as pausas… e não consegui aproveitar a beleza do filme, curtir as cenas em que os atores estão ensaiando, passando texto enquanto comem e coisas do tipo… tem umas cenas muito bonitas, mas não curti da maneira que deveria, pq tava presa! presa no processo, que foi mostrado só um tiquinho, só pra dar um gostinho de quero mais. Só me senti à vontade de colocar a minha opinião agora, aqui no blog, pq hoje tive a oportunidade de falar isso pro Coutinho, vcs poderão ver nosso bate papo no youtube, em breve…. no programa só vai ao ar um pouco da entrevista. Coutinho disse que a idéia no começo era realmente mostrar o processo, mas que no final, com 40 horas de filme ele não tinha nada de interessante pra mostrar do processo, que já não estava mais interessante!!! (maior decepção minha agora… como que o processo não ficou interessante?? que pena!!), tinha um ou outro momento bancana, mas que se ele colocasse no filme, as pessoas irião querer mais e não tinha, então ele optou por não colocar nada! E foi então que o filme se transformou em algo que ele não tinha pensado a princípio, se transformou e tomou vida na montagem.

Fizemos uma entrevista com ele lá no Espaço Unibanco, depois de termos gravado as cabeças do programa, numa correria pq tínhamos o horário marcado da entrevista. No começo a conversa tava difícil, fiz umas 3 perguntas e só levei na cabeça… ele desmereceu a pauta e eu já tava ficando arrasada pensando “não vou conseguir arrancar nada dele?? Ai.. Coutinho tá me achando uma burra, acabando com as minhas perguntas!!” mas eis que a gente não pode desistir e passado um tempo, enquanto eu ía ficando mais tensa, ele ía relaxando e finalmente a entrevista rolou… nisso a Dani (diretora) já tinha entrado no papo tb e feito perguntas, o que me ajudou a relaxar novamente hehe e quando tivemos que acabar a entrevista que eu tive a coragem de então falar minha opinião sobre o filme… afinal, já tínhamos a entrevista mesmo… se ele ficassa de cara comigo, já não faria mais diferença, e foi quando rolou a melhor parte, a que eu descrevi acima.

E o papo que começou com nós dois nos estranhando, acabou num clima bom, de amizade, com um abraço e um aperto de mão e trocas de palavras carinhosas. 🙂

obs.: só agora consegui terminar esse texto, que eu comecei a escrever na terça (quando rolou a entrevista)

making of “luz nas trevas – a revolta de luz vermelha”

Posted in entrevistas, making of with tags , , , , , , , , , , , , on 22/03/2009 by Flávia Scherner

Pois é… e eu que falei que não perderia o zoom por nada, perdi! É algo que não costuma acontecer, meus amigos já sabem: “Só me chamem pra fazer algo no sábado à noite antes ou depois do zoom. Sou caxias e assisto todos!” A excessão só acontece em casos de casamentos, aniversários ou, no caso desse último sábado, trabalho… uma boa causa né?

Eis que fomos gravar o making of da sequência de  ” O bandido da luz vermelha”, primeiro longa de Rogério Sganzerla,  “Luz nas trevas – A revota de luz vermelha”. O Sganzerla tinha deixado o roteiro pronto antes de morrer com a sua mulher, a atriz, diretora e musa do cinema marginal, Helena Ignez (que por sinal, atuou no curta pátio que passou semana passada no zoom!). Ela assumiu a direção do filme junto com Ícaro Martins.

Vamos combinar que trabalhar sábado à noite e com chuva não é lá muito animador né… saí de casa com a minha cama, livros e filmes urrando pela minha companhia. Mas eu gosto tanto de um set de filmagem que é só chegar no lugar que me me sinto tomada de uma energia e alegria muito bons e aí eu já estava felizona de estar lá.

Fomos pra gravar várias cenas diferentes, a ordem do dia prometia uma cena de um cara fazendo grafite num muro, e outras duas cenas em diferentes locações. Iríamos acompanhar o deslocamento de um lugar pra outro, acompanhar as cenas, preparação e tudo mais. Quer dizer, tudo que desse dentro do horário da nossa equipe, tínhamos horário pra voltar pra tv. No que chegamos, a Isabela (platô – não sabe o que é?? Assiste o zoom então pra ficar sabendo) muito atenciosa com a gente, apesar de ter que coordenar mil coisas no set, topou dar uma entrevista e já avisou que a cena do grafite tinha sido cancelada, senão me engano não tiveram autorização pra grafitar o tal muro. Se a chuva continuasse, poderia atrapalhar a cena a ser filmada, um rolé do Tudo ou Nada (filho do Luz Vermelha no filme) pelo centro de sampa num Galaxie conversível incrível. São Pedro foi legal e a chuva deu uma trégua.

Mas com essas mudanças na ordem do dia, conseguimos gravar algumas entrevistas, alguns atores e figurantes se arrumando… e não conseguiríamos mostrar cenas sendo gravadas, já que a cena era do Tudo ou Nada dirigindo pelo centro, ficaria complicado ter uma van da tv Cultura do lado aparecendo né?? Então tivemos que ficar no QG da produção esperando… quando nossas esperanças de gravar alguma cena estavam já estavam se acabando, conseguimos acompanhar uma parte da cena, onde a câmera ficava parada e o carro passava pelo quadro, aí pudemos ficar com a nossa câmera do lado registrando tudo: O carro que não queria funcionar na hora que começavam a rodar, o carro que passou muito longe da marca onde deveria ter passado, a espera pra poder rodar já que outros carros estavam passando na rua, mais uma vez o Galaxie não quis funcionar, e… e aí a gente finalmente conseguiu!!! E aí já tivemos que voltar pra tv…. com algum material mas não tudo que esperávamos. Acontece…

O que talvez possa ajudar a enriquecer o nosso making of são as imagens do making of “oficial” (???) que o Joel Pizzini está dirigindo e quem estava lá registrando tudo era o Rafael Saar, diretor do curta “Depois de tudo” com o Ney Matogrosso, que você deve ter assistido a matéria ano passado no Zoom…

Agora é só ficar ligado que logo logo essa matéria vai ao ar! Tô indo nessa que tenho que ir pra tv… daqui a pouco vamos gravar as cabeças do programa lá no MIS.

beijo beijo!

sexta é dia de reprise!

Posted in no zoom with tags , , , , , , , , on 20/03/2009 by Flávia Scherner

Como vocês já sabem… sexta é dia de repeteco. Pra quem perdeu o especial Glauber Rocha, hoje tem mais uma chance, à 1:30.

Pra quem vai curtir uma baladinha e não estará em casa ou estará na companhia  do dj pillow no eldredon, pode conferir no youtube, e eu que sou legal, vou dar essa colher de chá e colocar aqui! Tá baba, hein…