Arquivo para making of

Making of Pinball

Posted in making of with tags , , , , , on 09/08/2009 by Flávia Scherner

Cof Cof Cof, não, não é gripe suína, o assunto da moda, o motivo da tosse… é o pó que se juntou nesse blog depois de tanto tempo sem postar!

Hoje fomos fazer o making of do curta Pinball, direção do Ruy Veridiano. A locação hoje era no centro de São Paulo, no Pátio do Colégio (ou Pateo do Collegio??). O clima ajudou, não choveu, temperatura agradável, maravilha!

O grande barato desse curta é que está sendo rodado com um formato diferente, com filme 35mm com 2 perfurações ( o normal são 4 no negativo). Como eu não sou nenhuma expert nessa parte técnica, não vou discorrer mto sobre o assunto aqui no blog, a explicação bonita e muito bem dada foi feita pela equipe do curta (Ruy Veridiano, Francisco Garcia, Zeca Paixão e o fotógrafo Alziro Barbosa) e vcs verão no zoom.

Fazer making of às vezes é meio chato tb… pq a gente não pode atrapalhar a gravação, tem que esperar os momentos entre um take e outro pra falar com a equipe. Mas nem sempre eles deixam que a gente grave, justamente pra não atrapalhar o andamento e aí é muita espera e muita bronca que a gente leva tb, levamos umas hj da Laura, assistente de direção pq saímos entrevistando algumas pessoas e atrapalhamos o trabalho dela… desculpa Laura!!

No final deu tudo certo, falamos com todos que precisávamos falar e deu pra pegar muita imagem. Vai ficar bacana (o making of e o filme, é claro!)!

Anúncios

making of “luz nas trevas – a revolta de luz vermelha”

Posted in entrevistas, making of with tags , , , , , , , , , , , , on 22/03/2009 by Flávia Scherner

Pois é… e eu que falei que não perderia o zoom por nada, perdi! É algo que não costuma acontecer, meus amigos já sabem: “Só me chamem pra fazer algo no sábado à noite antes ou depois do zoom. Sou caxias e assisto todos!” A excessão só acontece em casos de casamentos, aniversários ou, no caso desse último sábado, trabalho… uma boa causa né?

Eis que fomos gravar o making of da sequência de  ” O bandido da luz vermelha”, primeiro longa de Rogério Sganzerla,  “Luz nas trevas – A revota de luz vermelha”. O Sganzerla tinha deixado o roteiro pronto antes de morrer com a sua mulher, a atriz, diretora e musa do cinema marginal, Helena Ignez (que por sinal, atuou no curta pátio que passou semana passada no zoom!). Ela assumiu a direção do filme junto com Ícaro Martins.

Vamos combinar que trabalhar sábado à noite e com chuva não é lá muito animador né… saí de casa com a minha cama, livros e filmes urrando pela minha companhia. Mas eu gosto tanto de um set de filmagem que é só chegar no lugar que me me sinto tomada de uma energia e alegria muito bons e aí eu já estava felizona de estar lá.

Fomos pra gravar várias cenas diferentes, a ordem do dia prometia uma cena de um cara fazendo grafite num muro, e outras duas cenas em diferentes locações. Iríamos acompanhar o deslocamento de um lugar pra outro, acompanhar as cenas, preparação e tudo mais. Quer dizer, tudo que desse dentro do horário da nossa equipe, tínhamos horário pra voltar pra tv. No que chegamos, a Isabela (platô – não sabe o que é?? Assiste o zoom então pra ficar sabendo) muito atenciosa com a gente, apesar de ter que coordenar mil coisas no set, topou dar uma entrevista e já avisou que a cena do grafite tinha sido cancelada, senão me engano não tiveram autorização pra grafitar o tal muro. Se a chuva continuasse, poderia atrapalhar a cena a ser filmada, um rolé do Tudo ou Nada (filho do Luz Vermelha no filme) pelo centro de sampa num Galaxie conversível incrível. São Pedro foi legal e a chuva deu uma trégua.

Mas com essas mudanças na ordem do dia, conseguimos gravar algumas entrevistas, alguns atores e figurantes se arrumando… e não conseguiríamos mostrar cenas sendo gravadas, já que a cena era do Tudo ou Nada dirigindo pelo centro, ficaria complicado ter uma van da tv Cultura do lado aparecendo né?? Então tivemos que ficar no QG da produção esperando… quando nossas esperanças de gravar alguma cena estavam já estavam se acabando, conseguimos acompanhar uma parte da cena, onde a câmera ficava parada e o carro passava pelo quadro, aí pudemos ficar com a nossa câmera do lado registrando tudo: O carro que não queria funcionar na hora que começavam a rodar, o carro que passou muito longe da marca onde deveria ter passado, a espera pra poder rodar já que outros carros estavam passando na rua, mais uma vez o Galaxie não quis funcionar, e… e aí a gente finalmente conseguiu!!! E aí já tivemos que voltar pra tv…. com algum material mas não tudo que esperávamos. Acontece…

O que talvez possa ajudar a enriquecer o nosso making of são as imagens do making of “oficial” (???) que o Joel Pizzini está dirigindo e quem estava lá registrando tudo era o Rafael Saar, diretor do curta “Depois de tudo” com o Ney Matogrosso, que você deve ter assistido a matéria ano passado no Zoom…

Agora é só ficar ligado que logo logo essa matéria vai ao ar! Tô indo nessa que tenho que ir pra tv… daqui a pouco vamos gravar as cabeças do programa lá no MIS.

beijo beijo!